Sinking in

Naquela época eu estava tão ensimesmada. Dias de chuva como o de hoje eram os únicos dias em que eu me sentia confortável, bem. Tardes inúteis passadas dormindo encolhida por baixo do futón pesado e sentindo. Sentindo todo o peso daquele amor que doía tanto, não sei por que. Doía de não poder tê-lo para mim, doía vê-lo todos os dias e não conseguir tomar uma atitude. Doía ir para as aulas todos os dias e sentir aquele peso, aquele elefante cor-de-rosa no meio da sala chamado X (não revelo seu nome). Aliás, seu nome não era fulano de tal mais sobrenome. O verdadeiro nome dele só eu conheci. E isso doía muito também.

Acho que esse blog vai me servir para tirar um pouco do peso que carrego por todos esses anos. E também um espaço para compartilhar o que eu tenho a oferecer de meu, espero que não só confissões aborrecidas que taguearei como #pessoal.

Por enquanto é só.

# The Cure – The Same Deep Water As You

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s